Mussarela ou muçarela?

1 de setembro de 2012 às 03:37 | Publicado em Português | Deixe um comentário
Tags: , , ,
Muitas das vezes o que usamos pode não ser a forma correta, mas devido á popularidade passou a ser, digamos… “aceitável” a maneira que usam uma determinada palavra ou um termo. Um dos exemplos mais claros dessa “confusão” de grafias é justamente a respeito dessa palavra “Mozzarella”, que chama-se originalmente na Itália.

As palavras para chegarem ao verbete correto usam uma determinada regra. No caso de algumas palavras italianas as palavras que tem “zz” em português se transforma em “ç”.

EX: A palavra em italiano é Carrozza, quando recebe a alteração se transforma em “Carroça
Você sabia que a palavra “Mussarela” que todos nós usamos esta errada?
Observe a confusão:  O dicionario Aurélio apresenta o verbete “mozarela”, enquanto o Michaelis registra as duas formas: mozarela/muçarela. Mas nenhum registra o verbete popular “mussarela”.
Apesar que não ser correto entrou nessa “aceitação” devido a popularidade desse termo “abrasileirado”.
Então ironicamente temos que ignorar a grafia correta e usar a grafia “popular”
Fique atento!
Anúncios

Exercícios resolvidos de sintaxe – parte 2

20 de março de 2009 às 02:40 | Publicado em Português | 18 Comentários


21. "Um esparso tilintar de chocalhos e guizos morria pelas quebradas." Qual é o
sujeito e o tipo de sujeito desta oração?

a) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / simples.
b) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / composto.
c) Um esparso tilintar / simples.
d) Chocalhos e guizos / composto.

 

22. "Não choremos, amigos, a mocidade." Qual é o tipo de
sujeito desta oração?

a) Sujeito indeterminado.
b) Sujeito oculto.
c) Sujeito simples.
d) Oração sem sujeito.

 

23. "Corriam por aqueles dias boatos da revolução." Nesta
oração o tipo de sujeito é:

a) Sujeito simples.
b) Sujeito oculto.
c) Oração sem sujeito.
d) Sujeito indeterminado.
 

24. "O homem, a fera e o inseto, à sombra delas, vivem
livres de fome e fadigas." Nesta oração o sujeito é:

a) Sujeito indeterminado.
b) Oração sem sujeito.
c) Sujeito oculto.
d) Sujeito composto.
 

25. Justifique por que o sujeito desta oração é oculto:
"Não chores, meu filho."

a) Não é possível identificar o sujeito.
b) O sujeito é o próprio verbo.
c) O praticante da ação é "tu", mas não aparece grafado.
d) O sujeito está indeterminado.
 

26. Justifique porque o predicado desta oração é nominal:
"Os olhos não estavam bem fechados."

a) O seu núcleo é um nome.
b) O seu núcleo é verbo intransitivo.
c) O seu núcleo é um verbo de ligação.
d) O núcleo nada tem a ver com o tipo do predicado.
 

27. Flores me são os teus lábios. Qual é o tipo de
predicado desta oração?

a) Nominal.
b) Verbal.
c) Verbo-nominal.
d) Não há predicado.
 

28. O núcleo de um predicado nominal pode ser:

a) Adjetivo, substantivo, pronome substantivo, verbo, numeral.
b) Adjetivo, locução adjetiva, substantivo, palavra substantivada, pronome
substantivo, numeral.
c) Adjetivo, locução adjetiva, pronome substantivo, palavra substantivada,
verbo.
d) Adjetivo, substantivo,pronome substantivo, locução adjetiva, advérbio,
numeral.
 

29. "Você virou pau-de-amarrar-égua?" Qual a função
sintática de "pau-de-amarrar-égua"?

a) Sujeito indeterminado.
b) Predicativo do sujeito.
c) Predicativo do objeto.
d) Adjunto adnominal.
 

30. "Você virou pau-de-amarrar-égua?" Justifique porque
este predicado é nominal.

a) O seu núcleo é um substantivo.
b) O seu núcleo é uma locução adjetiva.
c) Locuções não podem ser núcleos de predicados.
d) O seu núcleo é um verbo de ligação.
 

31. "A verdade é que ninguém estudou." Qual é o núcleo do
predicado desta oração?

a) Ninguém estudou.
b) Que ninguém estudou.
c) A verdade.
d) Ninguém.
 

32. "Durante meses o azul do céu virou um picadeiro de
luta." Qual é o predicado e qual o seu tipo?

a) Virou um picadeiro de luta / nominal.
b) Picadeiro de luta / nominal.
c) Virou um picadeiro / verbal.
d) Virou um picadeiro de luta / verbo-nominal.
 

33. "O crepúsculo vai ficando cada vez mais pálido." Qual
o núcleo do predicado e qual o seu tipo?

a) Pálido / verbal.
b) Cada vez mais pálido / verbo-nominal
c) Cada vez mais / nominal.
d) Cada vez mais pálido / nominal.
 

34. "Galos cantam no despertar da aurora." Qual é o núcleo
do predicado desta oração e qual o seu tipo?

a) Cantam / verbo-nominal.
b) Cantam / nominal.
c) Cantam no despertar da aurora / verbal
d) Cantam / verbal
 

35. "O romântico jovem passeava com sua namorada no parque
municipal." Destaque o predicado desta oração e defina o seu tipo.

a) Passeava com sua namorada / verbal
b) Passeava / verbal
c) Passeava com sua namorada no parque municipal / verbo-nominal.
d) Passeava com sua namorada no parque municipal / verbal.
 

36. Todas as alternativas abaixo estão corretas quanto à
concordância nominal, exceto:

a) Foi acusado de crime de lesa-justiça.
b) As declarações devem seguir anexas ao processo.
c) Eram rapazes os mais elegantes possível.
d) É necessário cautela com os pseudolíderes.
e) Seguiram automóveis, cereais e geladeiras exportados.
 

37. Mostre onde há erro de concordância nominal:

a) É permitida a permanência de alunos.
b) A lista de ofertas vai anexa ao pacote.
c) Os gêneros alimentícios estão caros no Brasil.
d) A porta está meia aberta.
 

38. Mostre onde há erro de concordância nominal:

a) É permitida a permanência de alunos.
b) A lista de ofertas vai anexa ao pacote.
c) Os gêneros alimentícios estão caros no Brasil.
d) A porta está meia aberta.
 

39. Há erro de concordância verbal na opção:

a) Comeram-se os doces.
b) Faz meses que ele chegou.
c) Existem poucas árvores lá.
d) Vender-se-iam casas.
e) Houveram muitos pedidos.
 

40. Assinale o período em que o verbo aspirar apresenta
erro de regência:

a) Marta aspirou fundo o perfume das flores.
b) Se aspiras ao poder, prepara-te para enfrentar grandes desafios.
c) Dinheiro e fama são coisas que não aspiro.
d) Bom seria inventar aparelhos que aspirassem o lixo e a poeira das ruas.
e) Todos nós aspiramos ao cargo de diretor da empresa.
 

41. A oração grifada está em forma reduzida (de
infinitivo): "Apesar de só dizer a verdade, não lhe deram crédito". Assinale a
alternativa em que ela aparece desenvolvida de forma correta.

a) Apesar que só dizia a verdade, não lhe deram crédito.
b) Apesar que só dissesse a verdade, não lhe deram crédito.
c) Visto que só dizia a verdade, não lhe deram crédito.
d) Embora só dissesse a verdade, não lhe deram crédito.
e) Mesmo dizendo a verdade, não lhe deram crédito.
 

42. Aponte a alternativa em que a regência do verbo pagar
contraria a norma culta.

a) Aliviando-se de um verdadeiro pesadelo, o filho pagava ao
pai a promessa feita no início do ano.
b) O empregado pagou-lhe as polias e tachas roídas pela ferrugem para
amaciar-lhe a raiva.
c) Pagou-lhe a dívida, querendo oferecer-lhe uma espécie de consolo.
d) O alto preço dessa doença, paguei-o com as moedas de meu hábil esforço.
e) Paguei-o, com ouro, todo o prejuízo que sofrera com a destruição da seca.
 

43. Assinale a alternativa que completa corretamente as
lacunas das seguintes frases:
Ninguém é obrigado ______ fazer o que não quer.
Ele disse ______ ela que estava feliz.
Ele mentiu para não causar sofrimento ______ outras pessoas.

a) a, a, a
b) à, a, a
c) à, à, à
d) a, à, à
e) a, a, à.
 

44. Assinale a alternativa que completa corretamente as
lacunas das seguintes frases:
Foi graças ______ esse olhar que você o conquistou.
Ele foi o primeiro ______ chegar.
Não compare sua filha ______ ela.

a) a, à, a
b) à, à, à
c) à, a, a
d) a, a, a
e) a, a, à
 

45. Ocorre crase FACULTATIVA em:

a) Temos muitas coisas a fazer.
b) Eles estavam cara a cara.
c) Nunca obedeceremos a ela.
d) Ela foi a pé para casa.
e) Amanhã iremos a minha cidade.
 

————————————————

 

RESPOSTAS:

21.
Resposta: A
Explicação da Resposta:
Embora este sujeito possua um número considerável de palavras, há apenas um
núcleo, que é "tilintar". Dessa forma, o sujeito é simples. Observe que o verbo
está na terceira pessoa do singular: "morria".

22.
Resposta: B
Explicação da Resposta:
O sujeito está oculto, mas pode ser identificado (nós).

23.
 Resposta: A
Explicação da Resposta:
Note que esta oração se encontra na ordem inversa. Na ordem direta, tem-se:
"Boatos da revolução corriam por aqueles dias." Observe que o sujeito (boatos da
revolução) possui apenas um núcleo (boatos). Por essa razão, tem-se sujeito
simples.

24.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
O sujeito desta oração possui três núcleos: homem / fera / inseto. Neste caso,
trata-se de sujeito composto. Veja que o verbo está na terceira pessoa do plural
(vivem).

 
25.
Resposta: C
Explicação da Resposta:
É possível detectar o pronome "tu" nesta oração, que denota inclusive uma
linguagem coloquial.

26.
Resposta: A
Explicação da Resposta:
Quando um predicado exprime a qualidade ou o estado do sujeito é chamado de
nominal, porque o seu núcleo é constituído por um nome (sintaticamente
predicativo), acompanhado de um verbo de ligação.

27.
Resposta: A
Explicação da Resposta:
O núcleo deste predicado é um nome com a função sintática de predicativo do
sujeito, exprimindo assim uma qualidade do sujeito. Observe que há verbo de
ligação.

28.
Resposta: B
Explicação da Resposta:
Verbo e advérbio não caracterizam um predicado nominal.

29.
Resposta: B
Explicação da Resposta:
Trata-se de predicativo do sujeito, posto que está exprimindo uma qualidade do
sujeito (você).

30.
Resposta: B
Explicação da Resposta:
A oração é composta pelo verbo de ligação (virar) mais locução adjetiva, a qual
atua sintaticamente como predicativo do sujeito (núcleo)

31.
Resposta: B
Explicação da Resposta:
O predicado nominal também pode ter seu núcleo constituído por toda uma oração.

32.
Resposta: A
Explicação da Resposta:
Sabendo que "virar" é verbo de ligação e que o predicado da oração é "virou um
picadeiro de luta", tem-se predicado nominal.

33.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
"Ficar" é verbo de ligação e a expressão "cada vez mais pálido" constitui a
qualidade do sujeito (crepúsculo). Assim, essa expressão é o núcleo do predicado
e o seu tipo é nominal.

34.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
"Cantam" é um verbo intransitivo, não pede objeto. Por constituir a parte
principal da declaração deste predicado,"cantam" exerce função de núcleo do
predicado. Por ser verbo, o predicado é verbal.

35.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
"Passear" é um verbo intransitivo, não pede objeto e constitui a parte principal
da oração. Trata-se de um predicado verbal.

36.
Resposta: C
Explicação da Resposta:
O adjetivo possível, usado com o superlativo relativo, concorda com o artigo. A
concordância correta da frase é: Eram rapazes os mais elegantes possíveis.

37.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
Meio, quando advérbio, permanece invariável: A porta está meio aberta.

38.
Resposta: D
Explicação da Resposta:
Meio, quando advérbio, permanece invariável: A porta está meio aberta.

39.
Resposta: E
Explicação da Resposta:
O verbo haver, quando possuir sentido de existir, é verbo impessoal. Por não
possuírem sujeito, os verbos impessoais ficam na terceira pessoa do singular:
Houve muitos pedidos.

40.
Resposta: C
Explicação da Resposta:
O verbo aspirar, no sentido de almejar / pretender /desejar, é transitivo
indireto e exige complemento preposicionado. Assim, a regência correta é a
seguinte: Dinheiro e fama são coisas a que não aspiro.

 

Espero que as informações aqui passadas sejam realmente úteis.

Exercícios resolvidos de sintaxe – parte 1

8 de março de 2009 às 17:25 | Publicado em Português | 85 Comentários

pesquisa-eletronica

 

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

DE SINTAXE

 

1. Dê a função sintática dos termos assinalados pelas
aspas: "O lucro", que é um dos incentivos do sistema, foi "excelente".

a) objeto direto – adjunto adverbial.
b) sujeito – predicativo do sujeito.
c) sujeito – predicativo do objeto.
d) predicativo do sujeito – predicativo do objeto.

 

2. "Pagam bem lá?" Nesta oração o sujeito é:

a) Oculto
b) simples
c) indeterminado
d) oração sem sujeito

 

3. "Em nossa terra não se vive senão de política." Nesta
oração o sujeito é:

a) Indeterminado
b) oração sem sujeito
c) oculto
d) simples

 

4. "Afinal, lá se está sempre contente." Nesta oração o
tipo de sujeito é:

a) Oculto
b) composto
c) determinado
d) indeterminado

]

5. "Precisa-se de operários para a obra." Nesta oração o
tipo de sujeito é:

a) composto
b) indeterminado
c) simples
d) oração sem sujeito

 

6. "Os livros escolares devem ser tratados com carinho."
Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) composto
b) indeterminado
c) simples
d) oração sem sujeito

 

7. Meu amigo José estuda à noite. Nesta oração o tipo de
sujeito é:

a) indeterminado
b) composto
c) simples
d) nenhuma das anteriores

 

8. "Entusiasmo, garbo e disciplina caracterizaram o
desfile." Nesta oração o tipo de sujeito é:

a) indeterminado
b) composto
c) oração sem sujeito
d) simples

 

9. O sujeito de uma oração é determinado quando:

a) O seu núcleo é um substantivo, palavra substantivada,
pronome ou oração substantiva.
b) O seu núcleo é sempre um substantivo
c) O seu núcleo é sempre uma oração substantiva ou um substantivo
d) O seu núcleo é sempre um pronome pessoal ou um substantivo.

 

10. Quanto à espécie, o sujeito de uma oração pode ser:

a) Determinado ou indeterminado
b) Simples ou composto
c) As duas alternativas anteriores estão corretas.
d) Nenhuma alternativa está correta.

 

11. A oração sem sujeito caracteriza-se por:

a) O sujeito está indeterminado.
b) Não se atribui o fato a nenhum ser.
c) O sujeito está simplesmente oculto.
d) O fato é atribuído a um ser determinado.

 

12. A oração sem sujeito possui apenas:

a) Objeto direto.
b) Objeto indireto.
c) Predicado.
d) Sujeito oculto.

 

13. "Anoitecia silenciosamente." Nesta oração temos:

a) Sujeito simples
b) Oração sem sujeito.
c) Sujeito indeterminado.
d) Sujeito oculto.

 

14. "Será muito cedo?" "Como está calor!" Quais são os
sujeitos destas orações?

a) Orações sem sujeito.
b) cedo / calor.
c) muito / como.
d) nenhuma das anteriores.
 

15. Defina o tipo de sujeito desta oração: "Fazia um calor
infernal no sertão."

a) Sujeito indeterminado
b) Oração sem sujeito.
c) Sujeito simples
d) Sujeito oculto.

 

16. Defina o tipo de sujeito desta oração: "Faz dez anos
que cheguei aqui."

a) Sujeito oculto.
b) Sujeito simples.
c) Sujeito indeterminado.
d) Oração sem sujeito.
 

17. Defina o tipo de sujeito desta oração: "Seriam quatro
horas da tarde."

a) Oração sem sujeito.
b) Sujeito indeterminado.
c) Sujeito oculto.
d) Sujeito composto.
 

18. "Aqui não me cheira bem". Neste exemplo temos uma
oração sem sujeito, pois:

a) Não há sujeito simples.
b) Não há um sujeito possível, agente da ação.
c) Não há um sujeito composto.
d) Nenhuma das anteriores.
 

19. "Já deve passar de dois anos." Qual é o tipo de
sujeito?

a) Sujeito oculto.
b) Sujeito indeterminado.
c) Sujeito simples.
d) Oração sem sujeito.

 

20. "Nunca ninguém acariciou uma cabeça de galinha." Qual
é o sujeito e o tipo de sujeito desta oração?

a) Nunca ninguém / composto.
b) Ninguém / simples.
c) Ninguém /indeterminado.
d) Nunca / simples.

 

———————————————————-

RESPOSTAS

 

NUMERO 1

Resposta:  B
Explicação da Resposta:
"O lucro" é o agente da ação (sujeito) – "excelente" é uma qualidade do sujeito

(predicativo do sujeito)

 

NUMERO 2

Resposta:  C
Explicação da Resposta:
O sujeito é indeterminado porque o verbo está na terceira pessoa do plural e não
se refere a nenhum substantivo no plural anteriormente expresso, tampouco aos
pronomes eles ou elas.

 

NUMERO 3

Resposta: A
Explicação da Resposta:
Quando o pronome "se" está ligado a verbos intransitivos, transitivos indiretos
ou de ligação, o tipo de sujeito da oração é indeterminado. Neste caso, o verbo
é intransitivo.

 

NUMERO 4

Resposta: D
Explicação da Resposta:
Quando o pronome "se" está ligado a verbos intransitivos, transitivos indiretos
ou de ligação, o tipo de sujeito da oração é sempre indeterminado. Neste caso, o
verbo é de ligação.

 

NUMERO 5

Resposta: B
Explicação da Resposta:
Quando o pronome "se" está ligado a verbos instransitvos, transitivos indiretos
ou de ligação, o tipo de sujeito é sempre indeterminado. Neste caso o verbo é
transitivo indireto.

 

NUMERO 6

Resposta: C
Explicação da Resposta:
O sujeito é simples, pois nele há apenas um núcleo (livros).

 

NUMERO 7

Resposta: C
Explicação da Resposta:
O tipo de sujeito é simples, pois há apenas um núcleo (José).

 

NUMERO 8

Resposta: B
Explicação da Resposta:
Este sujeito é composto, pois possui três núcleos: (1) entusiasmo, (2) garbo e
(3) disciplina. Dois ou mais núcleos tornam o sujeito composto.

 

 

NUMERO 9

Resposta: A
Explicação da Resposta:
O que caracteriza um sujeito determinado é o seu núcleo exercendo função de:
substantivo, palavra substantivada, pronome ou oração substantiva.

 

NUMERO 10

Resposta: C
Explicação da Resposta:
Quanto a sua espécie, o sujeito pode ser: simples ou composto, determinado ou
indeterminado.

 

NUMERO 11

Resposta: B
Explicação da Resposta:
Uma oração sem sujeito ocorre quando se enuncia um fato e não se pode atribuí-lo
a nenhum ser.

 

NUMERO 12

Resposta: C
Explicação da Resposta:
Numa oração sem sujeito não é possível saber a quem o fato é atribuído. Assim,
há apenas o predicado.

 

NUMERO 13

Resposta: B
Explicação da Resposta:
Verbos que exprimem fenômenos meteorológicos implicam orações sem sujeito.
Exemplo: Choveu muito naquele dia.

 

NUMERO 14

Resposta: A
Explicação da Resposta:
Ambas orações exprimem fenômenos meteorológicos, seus verbos são de ligação.
Apresentam assim, características das orações sem sujeito.

 

NUMERO 15

Resposta: B
Explicação da Resposta:
O verbo "fazer", ao exprimir um fenômeno meteorológico, caracteriza uma oração
sem sujeito.

 

NUMERO 16

Resposta: D
Explicação da Resposta:
O verbo "fazer", ao exprimir tempo decorrido, também caracteriza uma oração sem
sujeito.

 

NUMERO 17

Resposta: A
Explicação da Resposta:
O verbo "ser" quando utilizado na indicação de horas e datas caracteriza uma
oração sem sujeito.

 

NUMERO 18

Resposta: B
Explicação da Resposta:
Não se pode determinar com clareza quem está praticando a ação de "cheirar". É
um caso de oração sem sujeito.

 

NUMERO 19

Resposta: D
Explicação da Resposta:
Trata-se de oração sem sujeito, posto que não é possível determinar qual é o
agente que está praticando a ação verbal.

 

NUMERO 20

Resposta: B
Explicação da Resposta:
O agente que pratica a ação de "acariciar" é "ninguém", como possui um único
núcleo, é sujeito simples.

 

>>> Continua…

 

Orações subordinadas substantivas

27 de junho de 2008 às 02:48 | Publicado em Português | 30 Comentários

) ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS

A oração subordinada substantiva tem valor de substantivo e vem introduzida, geralmente, por conjunção integrante (que, se).

Por Exemplo:

Suponho que você foi à biblioteca hoje.
  Oração Subordinada Substantiva
Você sabe se o presidente já chegou?
  Oração Subordinada Substantiva

 

Os pronomes interrogativos (que, quem, qual) também introduzem as orações subordinadas substantivas, bem como os advérbios interrogativos (por que, quando, onde, como). Veja os exemplos:

O garoto perguntou qual era o telefone da moça.
  Oração Subordinada Substantiva
Não sabemos por que a vizinha se mudou.
  Oração Subordinada Substantiva

Classificação das Orações Subordinadas Substantivas

De acordo com a  função que exerce no período, a oração subordinada substantiva pode ser:

 

a) Subjetiva

 

É subjetiva quando  exerce a função sintática de sujeito do verbo da oração principal. Observe:

É fundamental o seu comparecimento à reunião.
Sujeito  
   
É fundamental que você compareça à reunião.
Oração Principal Oração Subordinada Substantiva Subjetiva

 

Atenção:

Observe que a oração subordinada substantiva pode ser substituída pelo pronome isso. Assim, temos um período simples:

É fundamental isso ou Isso é fundamental.

                                         Sujeito

Dessa forma, a oração correspondente a “isso” exercerá a função de sujeito.

 

Veja algumas estruturas típicas que ocorrem na oração principal:

1- Verbos de ligação + predicativo, em construções do tipo:

É bom – É útil – É conveniente – É certo – Parece certo – É claro – Está evidente – Está comprovado

Por Exemplo: que você compareça à minha festa.

É bom 

2- Expressões na voz passiva, como:

Sabe-se – Soube-se – Conta-se – Diz-se – Comenta-se – É sabido – Foi anunciado – Ficou provado

Por Exemplo:

Sabe-se que Aline não gosta de Pedro. 

3- Verbos como:

convir – cumprir – constar – admirar – importar – ocorrer – acontecer

Por Exemplo: que não se atrase na entrevista.

Convém 

Obs.: Quando a oração subordinada substantiva é subjetiva, o verbo da oração principal está sempre na 3ª. pessoa do singular.

b) Objetiva Direta

A oração subordinada substantiva objetiva direta exerce função de objeto direto do verbo da oração principal.

Por Exemplo:

Todos querem sua aprovação no vestibular.
                                          Objeto Direto                                  
                                                                                                     
Todos querem         que você seja aprovado. (Todos querem isso)
Oração Principal     Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta

 

 

As orações subordinadas substantivas objetivas diretas desenvolvidas são iniciadas por:

1- Conjunções integrantes “que” (às vezes elíptica) e “se”:

Por Exemplo: A professora verificou se todos alunos estavam presentes.

 

2-  Pronomes indefinidos que, quem, qual, quanto (às vezes regidos de preposição), nas interrogações indiretas:

Por Exemplo: O pessoal queria saber quem era o dono do carro importado.

 

3- Advérbios como, quando, onde, por que, quão (às vezes regidos de preposição), nas interrogações indiretas:

Por Exemplo: Eu não sei por que ela fez isso.

 

Orações Especiais

Com os verbos deixar, mandar, fazer (chamados auxiliares causativos) e ver, sentir, ouvir, perceber (chamados auxiliares sensitivos) ocorre um tipo interessante de oração subordinada substantiva objetiva direta reduzida de infinitivo. Observe:

Deixe-me repousar.

Mandeios sair.

Ouvio gritar.

   Nesses casos, as orações destacadas são todas objetivas diretas reduzidas de infinitivo. E, o que é mais interesante, os pronomes oblíquos atuam todos como sujeitos dos infinitivos verbais. Essa é a única situação da língua portuguesa em que um pronome oblíquo pode atuar como sujeito. Para perceber melhor o que ocorre, convém transformar as orações reduzidas em orações desenvolvidas:

Deixe que eu repouse.

Mandei que eles saíssem.

Ouvi que ele gritava.

   Nas orações desenvolvidas, os pronomes oblíquos foram substituídos pelas formas retas correspondentes. É fácil compreender agora que se trata, efetivamente, dos sujeitos das formas verbais das orações subordinadas.

c) Objetiva Indireta

A oração subordinada substantiva objetiva indireta atua como objeto indireto do verbo da oração principal. Vem precedida de preposição.

Por Exemplo:

Meu pai insiste em meu estudo.
                               Objeto Indireto
                              
Meu pai insiste em que eu estude.  (Meu pai insiste nisso)
           Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta

 

Obs. : Em alguns casos, a preposição pode estar elíptica na oração.

Por Exemplo:

Marta não gosta (de) que a chamem de senhora.
                Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta

 

d) Completiva Nominal

 

A oração subordinada substantiva completiva nominal completa um nome que pertence à  oração principal e também vem marcada por preposição.

Por Exemplo:

Sentimos orgulho de seu comportamento.
                                  Complemento Nominal 
                       
Sentimos orgulho de que você se comportou. (Sentimos orgulho disso.)
                     Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal

 

 

Lembre-se: 

   Observe que as orações  subordinadas substantivas objetivas indiretas integram o sentido de um verbo, enquanto que orações subordinadas substantivas completivas nominais integram o sentido de um nome. Para distinguir uma da outra, é necessário levar em conta o termo complementado. Essa é, aliás, a diferença entre o objeto indireto e o complemento nominal: o primeiro complementa um verbo, o segundo, um nome.

e) Predicativa

   A oração subordinada substantiva predicativa exerce papel de predicativo do sujeito do verbo da oração principal e vem sempre depois do verbo ser.

Por Exemplo: Nosso desejo era sua desistência.
                            Predicativo do Sujeito
                        
Nosso desejo era que ele desitisse. (Nosso desejo era isso.)
              Oração Subordinada Substantiva Predicativa                            

 

Obs.: Em certos casos, usa-se a preposição expletiva “de” para realce. Veja o exemplo:

A impressão é de que não fui bem na prova.f) Apositiva

 

 

A oração subordinada substantiva apositiva exerce função de aposto de algum termo da oração principal.

Por Exemplo:

Fernanda tinha um grande sonho: a chegada do dia de seu casamento.
                                                                                        Aposto
(Fernanda tinha um grande sonho: isso.)

Fernanda tinha um grande sonho: que o dia do seu casamento chegasse.
                                Oração Subordinada Substantiva Apositiva

 

 

Saiba mais:

   Apesar de a NGB não fazer referência, podem ser incluídas como orações subordinadas substantivas aquelas que funcionam como agente da passiva iniciadas por “de” ou “por” , + pronome indefinido.  Veja os exemplos:

O presente será dado por quem o comprou.

O espetáculo  foi apreciado por quantos o assistiram .

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.